Visita ao mercado de peixes São Pedro em Niterói e receita de lagosta ao molho de manteiga, mostarda


Domingão de sol e resolvi me auto presentear (fiz aniversário dia 09 de novembro) com uma receita que não saía da minha cabeça desde Agosto: Lagosta.

Apesar do Rio de Janeiro ter um grande litoral, encontrar lagosta fresca, de qualidade e para levar em pronta entrega não é das tarefas mais fáceis. Já existem lojas on line que vendem e entregam lagostas e outros crustáceos (como a Peixaria Z13 por exemplo) mas a coisa é tão moderna que ela já vem até descascada e pronta para o consumo. Não, eu não queria tanta facilidade...

Minha vontade era trabalhar o ingrediente e para isso ela precisava estar inteira. Meu destino era só um: Mercado de Peixes São Pedro em Niterói. E lá fui eu!

Peguei o carro e cruzei a ponte. Cheguei por volta das 09:00 e estava bem vazio. Acho que dei sorte pois das últimas vezes que dei as caras por lá o espaço era disputadíssimo, parecia um "formigueiro".

Procura daqui, procura de lá. Somente (lindos) peixes mas nada de lagosta. Para quem gosta de frutos do mar o paraíso é a melhor descrição.

Depois de perguntar banca por banca sem sucesso, finalmente, quase no fim do extenso corredor me deparei com o meu Santo Graal. Lindíssimas lagostas capixabas de todos os tamanhos, inteiras e frescas. Comprei duas de tamanho médio (uma com aproximadamente 1,5 Kg e a outra de uns 2kg). Comprei por R$ 70,00 o Kg. Parece caro... e é! Quem já foi ao Nordeste sabe do que estou falando. Mas vamos deixar de choro...era meu presente de aniversário ora bolas!

É importante ressaltar que geralmente a parte "comível" da lagosta é de 1 para 3, ou seja, a cada 1Kg você só comerá 300g de carne. O resto é carapaça e cabeça. Mas até que server para fazer um ótimo molho bisque...

Minha intenção era preparar algo simples e na churrasqueira. Nunca tinha comido lagosta na brasa. Por isso decidi comprar ela inteira e limpar eu mesmo. Queria manter a carapaça íntegra para usá-la direto na grelha e assim proteger a delicada carne. Mas mesmo que eu conseguisse acertar no ponto da carne eu ainda queria mais suculência. Molho, faltava molho! Lembrei de um muito simples que comi com camarões quando fui à Santiago. Simples mesmo: manteiga, mostarda do tipo dijon, alcaparras (pouca quantidade pois senão elas roubam todo o sabor), salsa picada e um macete: água de batata. Isso mesmo. A água (sem sal ou pimenta) do cozimento de uma ou duas batatas ajuda a engrossar o molho por causa do amido. E o que fazer com as batatas? Eu faria um purê.

Em uma frigideira alta comece derretendo aproximadamente meio tablete de manteiga com sal. Acrescente mais um menos uma colher de sopa de mostarda, uma pitada pimenta branca, um pequeno punhado de alcaparras lavadas (para tirar a salmoura da conserva). Coloque de 04 a 05 colheres da "água de batata" e deixe levantar um pouco de fervura. Termine com a salsa picada grosseiramente.

Caso você resolva fazer na brasa como eu o procedimento para limpar a lagosta é relativamente simples. Com uma boa faca e um daqueles martelos de madeira de cozinha corte ela no meio, longitudinalmente, da cabeça até a cauda. Mire bem no meio e para ajudar a faca com a carapaça (dura) use o martelo. CUIDADO com os espinhos que existem na cabeça e antenas dela. Eles realmente furam e cortam. Para segurar com mais firmeza use um pano ou uma luva própria. Assim, você terá dois pedaços idênticos da lagosta com a carne protegida pela cauda. Corte também as antenas total ou parcialmente para ser mais fácil de trabalhar com as peças. Lave em água corrente para retirar o intestino (fica ao longo da cauda) e, caso queira, retire também eventuais ovas (parece uma esponja vermelha que fica na parte de baixo da cauda).

Para você que está gostando da matéria:

Quanto ao tamanho da lagosta vai uma sugestão: se você for fazer na churrasqueira dê prioridade a lagostas pequenas ou médias. São mais fáceis de trabalhar inteiras e costumam ter mais carne do que as grandes e gigantes.

Lagosta limpa e a brasa estalando. Hora do show! Tempere o lado da carne com azeite e ervas (alecrim, tomilho ou manjericão - eu usei apenas manjericão). Não use sal pois resseca a carne que é muito delicada. Utilize aquele tipo de grelha dupla articulada e coloque as duas metades da lagosta com o lado da carapaça para baixo no nível 01 ou 02 da churrasqueira (perto da brasa). Só brasa hein, sem chamas!

Com uns 10 minutos e você já nota que a carapaça ficou avermelhada e a parte da carne começa a borbulhar ligeiramente. Hora de virar (colocar a carne para baixo) e subir a grelha. Mais uns 5 minutos e já está no ponto. Ele deve ser servida em um ponto mal passado mesmo pois do contrário a carne fica borrachuda.

E assim foi meu feliz domingo. Super recomendo. É um ingrediente caro mas de vez em quando podemos nos dar um luxo ou outro! Ficou com água na boca? Faça você também e me mande fotos/vídeos! E se discorda de algo que eu disse pode criticar também. Salve a Democracia da comida!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Eduardo Lemos é Contador (CRC 116.256), Administrador de Empresas (CRA 20-69519-5), Pós Graduado em Auditoria e Controladoria, Perito Contábil (CNPC/CFC 5280),  Professor Universitário, Empresário, Empreendedor e Amante de Vinhos e Gastronomia. Clique e saiba +

  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram