Primeira impressora 3D pessoal de materiais compostos está pronta para o mercado internacional

A empresa russa Anisoprint, do centro inovador Skolkovo, está pronta para apresentar a primeira impressora 3D pessoal capaz de imprimir materiais compostos. A apresentação será realizada em Frankfurt de 14 a 17 de novembro.

Trata-se de uma série de impressoras Anisoprint Composer, que inclui três modelos de tamanhos diferentes. A Anisoprint desenvolveu uma tecnologia de impressão tridimensional de objetos de plástico reforçado com fibras contínuas.

Qual a tecnologia?

Na impressora são carregadas duas bobinas com um arame composto reforçado e um fio de plástico convencional. Dentro do extrusor o fio derrete-se, cobrindo o arame, o que permite colocar fibras em qualquer direção, criando materiais compostos de qualquer forma e complexidade.

Esse método torna possível produzir amostras de material composto mais resistentes que os desenvolvidos em outros países. No vídeo divulgado pela empresa (veja abaixo) você pode apreciar como uma peça imprimida na Anisoprint suporta a pressão de 32 quilogramas (a partir de 01:30 do vídeo).

"Pela primeira vez no mercado aparecerá uma impressora 3D que permite obter peças de material composto polimérico 10-15 vezes mais resistentes e rígidas que o plástico habitual. Estamos felizes por esse produto ter sido desenvolvido completamente em Skolkovo", comentou Vladimir Turtikov, diretor operacional do cluster de tecnologias avançadas de produção do centro de inovação.

O único concorrente direto da Anisoprint é a empresa norte-americana Markforged, que também produz impressoras 3D de materiais compostos, disse à Sputnik Fyodor Antonov, diretor-geral da empresa russa. Entretanto, ele está certo que a Rússia oferece ao mercado "uma tecnologia mais flexível".

"A Markforged pode apenas usar náilon como plástico, as nossas impressoras podem usar qualquer tipo de plástico, dependendo das necessidades do cliente", disse ele.

Além disso, o equipamento e material russos são mais acessíveis, sublinhou Antonov.

"A impressora mais barata da Markforged custa mais do que a nossa mais cara, embora sejam aparelhos da mesma classe. Quanto aos materiais, os da empresa norte-americana são três vezes mais caros", sublinhou ele.

Mais uma vantagem realmente importante para muitos clientes é a segurança e a proteção da propriedade intelectual que a empresa russa oferece.

"A Anisoprint Composer pode trabalhar sem conexão à Internet, enquanto a Markforged é gerida através de computação em nuvem", explicou Antonov.

A impressora russa já tem 50 compradores potenciais. Aproximadamente metade deles são da Rússia.

Trata-se, principalmente, de centros de pesquisa, laboratórios, universidades e pequenas empresas que fornecem componentes para pequenos aviões, drones e robôs. As primeiras estregas estão previstas para a segunda metade do próximo ano. Já são conhecidos os preços da Anisoprint Composer: as impressoras custarão entre 4,9 e 8,9 mil euros (entre R$ 18,6 e R$ 34 mil).

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Eduardo Lemos é Contador (CRC 116.256), Administrador de Empresas (CRA 20-69519-5), Pós Graduado em Auditoria e Controladoria, Perito Contábil (CNPC/CFC 5280),  Professor Universitário, Empresário, Empreendedor e Amante de Vinhos e Gastronomia. Clique e saiba +

  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram